BRASÍLIA (Reuters) – A câmara baixa do Congresso brasileiro reelegeu nesta sexta-feira, por ampla maioria, o partido democrata Rodrigo Maia, para um novo mandato de dois anos como presidente da Câmara.

Maia contou com o apoio do presidente recém-eleito do Brasil, Jair Bolsonaro, e prometeu trabalhar com o novo governo para repassar as principais reformas consideradas cruciais para o equilíbrio do orçamento do país, como a reforma previdenciária.

Maia obteve 334 de 513 votos disponíveis. Seu concorrente mais próximo, Fabio Ramalho, do partido MDB, recebeu 66 votos.

“As reformas não são simples, mas são necessárias”, disse Maia em discurso antes da votação.

O comando de ambas as casas do Congresso é fundamental para que Bolsonaro e sua equipe avancem com planos de mudar não só o sistema previdenciário, mas outras legislações, incluindo impostos para corporações e um plano para privatizar um grande número de empresas estatais.

Bolsonaro, que ainda está se recuperando de uma cirurgia em um hospital de São Paulo, parabenizou Maia pela reeleição em uma mensagem no Twitter. “É uma posição de extrema responsabilidade liderar o processo de votação de projetos de lei que o povo brasileiro apóia fortemente”, disse ele.

O Senado do Brasil, que deveria também eleger seu novo presidente na sexta-feira, adiou a decisão para o sábado devido a divergências em relação ao processo de votação.

Escrita por Marcelo Teixeira; Edição de Leslie Adler


Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *