fbpx

Em dia agitado para o órgão antitruste brasileiro, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) autorizou o braço de comercialização da petroleira Shell, empresas de commodities e bancos internacionais a criar uma joint venture que visa desenvolver um sistema digital para a oferta de financiamentos para o setor em “blockchain”.

Segundo despacho do Cade no Diário Oficial da União desta segunda-feira (12), o negócio foi aprovado sem restrições e envolve a Shell Trading, além de bancos e empresas como ABN Amro, ING Bank, Societe Generale, BNP Paribas, CA Indosuez, Citibank, Macquarie, Rabobank, Natixis, a trading Mercuria e a certificadora SGS.

Cada um deles terá uma participação minoritária de 7,7% na joint venture, que irá desenvolver uma plataforma de financiamento aberta (Open Financing Platform – OFP) para servir como interface entre instituições financeiras que oferecem soluções de financiamento para comercialização de commodities de um lado e, de outro, plataformas de comercialização ou traders.

Petróleo

A Total Eren, empresa do grupo francês de petróleo Total, recebeu aval do Cade para aquisição de três projetos solares no Brasil junto à espanhola Cobra, segundo publicação no Diário Oficial da União.

A operação envolve os parques Dracena I, Dracena II e Dracena IV, que ainda não estão operacionais, e é vista pela Total como uma oportunidade para expandir sua capacidade de geração de energia no Brasil, segundo o órgão.

No Brasil, a Total possui apenas 40 megawatts em projetos solares, contra os 90 megawatts dos empreendimentos que são alvo da aquisição.

O Cade avaliou que a operação não tem potencial de gerar efeitos anticoncorrenciais e aprovou o ato sem restrições.


 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *