O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Dyogo Oliveira, anunciou nesta terça-feira, 17, reestruturação na Diretoria do Banco. A principal mudança é que, a partir de agora, o colegiado será composto de seis membros, dois a menos que no formato anterior.

Haverá alterações em algumas diretorias, com objetivo de racionalizar processos, reforçar sinergias e aumentar a eficiência operacional. Segundo Oliveira, a revisão visa fortalecer a estratégia de digitalização do BNDES e busca maior agilidade e eficiência.

A Diretoria de Governos e Infraestrutura será comandada por Marcos Ferrari, que deixará o posto de secretário de Planejamento e Assuntos Econômicos do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão.

Ricardo Luiz de Souza Ramos ficará responsável pela Diretoria de Transformação Estratégia e Digital.  Além da estratégia de digitalização do Banco, área onde o Presidente envidará todos os esforços, a diretoria de Ramos cuidará também das operações indiretas (onde se concentram a maioria dos financiamentos a micro, pequenas e médias empresas) e da área de Recursos Humanos.

A Diretoria de Investimento voltará a ser comandada por Eliane Aleixo Lustosa de Andrade, que também terá sob sua responsabilidade a estruturação financeira de projetos e empreendedorismo.

Para a Diretoria de Empresas volta Claudia Pimentel Trindade Prates, que também ficará responsável pela área de Originação do Banco.

Carlos Thadeu de Freitas assume a Diretoria de Finanças, que, além da área Financeira, passa a responder também pela análise de risco de crédito do Banco. Na Diretoria Jurídica permanece Marcelo de Siqueira Freitas, que também acumulará a área de Controladoria e Conformidade.

Deixam o BNDES, a pedidos, Marilene de Oliveira Ramos Múrias dos Santos e Carlos Alexandre Da Costa.


Scott Webb

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *