Serviço recém lançado em São Paulo terá 20 mil bikes e se prepara para lançar patinetes elétricos

Uma startup criada da união de ex-executivos da 99 Táxis e um ex-presidente da Caloi, lançada em julho, a Yellow Bikes, está sendo bem comentada pelos habitantes da maior capital do país, a partir da hora que bicicletas amarelas foram vistas espalhadas nas ruas da cidade.

A nova empresa de compartilhamento de bicicletas sem estações, ao contrário das bikes do Itaú,  obteve uma resposta positiva dos usuários paulistanos, com resultado superior ao de outras cidades no mundo logo nas primeiras semanas de operação. A Yellow já registra 150 mil corridas em São Paulo, apenas no primeiro mês.

O projeto, que começou na Zona Sul, em regiões como Faria Lima, Itaim e Vila Olímpia, com 500 bikes, já está com cerca de duas mil bicicletas em São Paulo. O plano da empresa prevê 20 mil bikes disponíveis na capital ainda em 2018 e 100 mil em 2019.

E a startup já está começando a atuar também com patinetes elétricos e planeja expandir suas operações para outras cidades do Brasil ao longo do ano que vem. Os horários de ápice de uso das bicicletas surpreenderam a empresa. Os períodos da manhã – entre 9h e 11h-  e da tarde – entre 17h e 19h-  já eram esperados, mas a Yellow foi surpreendida positivamente com o uso do serviço também no horário do almoço – entre às 12h e às 14h.

Alguns casos de vandalismos e furtos às bikes foram confirmados. Mesmo assim, a empresa ressalta que os números estão dentro do esperado e não alteram os planos e operações do serviço. Além disso, a Yellow veem conversando com as autoridades competentes, como as Polícias Civil e Militar e a Guarda Municipal, assim como o trabalho com os “Guardiões Yellow” contratados, que circulam todos os dias da semana pela cidade contribuindo para a melhor distribuição e posicionamento das bicicletas, apoiando usuários e garantindo as boas práticas.

 

Fontes: Yellow Bike e DCI


 

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.