Estive neste mês de férias no litoral norte de São Paulo. Uma região que sempre me encanta muito. A beleza natural, o mar tranquilo, as praias maravilhosas… simplesmente fantástico.

De manhã cedinho quando faço minha corrida diária, observei que um pelotão de empregados – da associação de amigos dos moradores daquela praia – fazia a limpeza recolhendo toda a sujeira deixada no dia anterior.

Quer dizer, para manter tudo lindo há que pagar pela limpeza pois as pessoas per si não conseguem ter uma atitude de não sujar a praia. Poder sujar faz parte da nossa cultura. O preço para limpar depois é pago pelos moradores e pelos turistas.

O mais simples, o mais barato, o mais ecológico, o melhor certamente é não sujar. Mas quem liga para isso?

por todas as “sujeiras” que pagamos. Somos indolentes pois preferimos ter a atitude displicente de “sujar” e contratar “garis” para limpar.


The beaches and the electricity sector

I was in this month of vacation in the north coast of São Paulo. A region that always enchants me a lot. The natural beauty, the tranquil sea, the wonderful beaches … just fantastic.

Early in the morning when I do my daily run, I noticed that a platoon of employees – from the association of friends of the residents of that beach – was cleaning up collecting all the dirt left the day before.

That is to say, to keep everything beautiful you have to pay for cleanliness because people themselves cannot have an attitude of not dirtying the beach. Being dirty is part of our culture. The price to clean later is paid by residents and tourists.

The simplest, the cheapest, the most environmentally friendly, the best thing is not to get dirty. But who cares about that?

The same applies to the electricity power sector. We are the most expensive among the BRICS for all the “dirt” we pay. We are indolent because we prefer to have the careless attitude of “getting dirty” and hiring street cleaners.

 


 

Compartilhe:
Rafael Herzberg
Rafael Herzberg é consultor independente para assuntos de energia por mais de 30 anos. Premiado no Brasil e Estados Unidos por cases de eficiência energética, geração on-site e projetos to-the-fence. Palestrante no Brasil e Estados Unidos em eventos de energia. Presta consultoria para clientes consumidores de energia (indústria, comércio e instituições), ofertantes de soluções em energia, concessionárias e comercializadores de energia além de ser convidado para atuar em casos de arbitragem de contratos de energia.
http://pontoon-e.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *