O projeto que está sendo desenvolvido pelo Gruppo Interalli, tem como objetivo a produção de 540 MW e contará com 18 unidades com capacidade de 30 MW cada. A previsão é de que desta unidade gigante se inicie no segundo trimestre de 2019, e se tornará a maior instalação fotovoltaica do país

o Grupo Interalli, que desenvolve projetos de infraestrutura e energia do Brasil, disse que conseguiu a aprovação da construção do Complexo Fotovoltaico de Marangatu, uma usina solar de 540 MW perto do município de Brasileira, no Piauí. A aprovação foi concedida pela Secretaria Estadual do Meio Ambiente do Piauí.

Segundo o CEO do Grupo Interalli, Fabrício Slavieiro Fumagalli, “O Complexo Marangatu será instalado em uma área com altos níveis de radiação solar e contribuirá para atender à crescente demanda energética do país”. Os trabalhos de construção da planta devem começar no segundo trimestre deste ano, acrescentou.

Ainda não está definido, se o projeto competirá em leilões futuros de energia renovável ou vse venderá a energia através de PPAs privadas, um segmento de negócio que tem recebido mais atenção ultimamente, como resultado da assinatura da EDP pela primeira empresa portuguesa no país, no acordo de negócio realizado em setembro.

PPAs Corporativos

A crescente popularidade do modelo de PPA corporativo para energia solar em escala pública foi confirmada por Rodrigo Sauaia, presidente da associação solar brasileira Absolar, que disse à revista que nove projetos fotovoltaicos com PPAs de 10 a 20 anos estão planejados no Brasil.

O fato dos PPAs poderem ser a opção preferida para o projeto Marangatu, também é sugerido pela falta de um cronograma claro para futuros leilões de energia envolvendo a energia solar. O último leilão nacional que incluiu o PV foi realizado em abril de 2018.

O Piauí hospeda o projeto Nova Olinda de 292 MW na Ribeira do Piauí – colocado em operação em setembro de 2017 e vendido para a holding chinesa CGN Energy International Holdings em meados de janeiro – e também o parque solar São Gonçalo de 475 MW em São Gonçalo Gurguéia, que está em construção pela gigante italiana de energia Enel.

 

Fonte: PV Magazine, Emiliano Bellini


 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *