Marca Eletropaulo foi substituída pela da Enel

Enel vai investir R$ 3,1 bi em distribuição de energia em SP

Promessa é reduzir problemas de interrupção no fornecimento de energia

Após 37 anos, quando o governo Paulo Maluf adquiriu da antiga Light, a conhecida, amada e odiada, Eletropaulo (AES Eletropaulo) deixará de existir diante de nossos olhos.  A estatal foi adquirida em junho pela Enel, da Itália, que promete grandes investimentos e colocou “no ar” esta semana comerciais na TV como parte de uma grande campanha de comunicação anunciando oficialmente mudança da marca. Veja o vídeo neste link: https://youtu.be/iNBYzIu9v0k

Os investimentos terão que ser eficazes, pois muitos reclamavam da estatal, principalmente no período de chuvas quando aconteciam grandes cortes de energia. A privatização, dizem alguns analistas de mercado chegou na hora certa.

A empresa italiana, que já atua no Ceará, Goiás e Rio de Janeiro, anunciou que aplicará R$ 3,1 bilhões na distribuição de energia para a Grande São Paulo no período de 2019 a 2021. A companhia é responsável por entregar eletricidade para 7,2 milhões de clientes em 24 cidades da região metropolitana, incluindo a capital paulista.

Entre  as melhorias que serão feitas em São Paulo, está o término das obras de sete novas subestações. “Esses investimentos vão fortalecer a rede, automatizá-la, digitalizá-la no sentido de buscar cada vez mais indicadores melhores para os nossos clientes”, destacou o presidente da distribuidora da Enel em São Paulo, Max Xavier.

Fornecimento

Segundo Max Xavier, estas implantações devem reduzir os problemas de interrupção no fornecimento de energia, que são recorrentes, especialmente no período de chuvas, na metrópole. “Sabemos o quão importante é o fornecimento do insumo energia elétrica para a sociedade, em particular para uma região com a importância socioeconômica tão grande quanto são os 24 municípios que compõem a região metropolitana de São Paulo”, disse.

A Eletropaulo recebeu sansões tanto dos órgãos de defesa do consumidor quanto das agências reguladoras pelas faltas de luz e demoras no reestabelecimento. Em agosto, a Aneel – Agência Nacional de Energia Elétrica-  acatou um recurso da Eletropaulo e reduziu para R$ 21,9 milhões uma multa aplicada em 2014 pela Arsesp -Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo-  pelas quedas no fornecimento de eletricidade.

Em 2015, o Procon de São Paulo multou a concessionária em R$ 3,7 milhões pela demora em reestabelecer o fornecimento de energia no Hospital Municipal e Maternidade Amador Aguiar, em Osasco.

Medidores inteligentes

A instalação de medidores inteligentes de consumo também deve ajudar a diminuir a intensidade do problema. Segundo o chefe da Enel para América Latina, Maurizio Bezzeccheri, os aparelhos permitem, entre outras funções, identificar pontualmente os locais onde houve queda no fornecimento, facilitando os reparos. “A leitura inteligente diz imediatamente se você não tem energia. Isso te permite reduzir um dos parâmetros que mede a qualidade do serviço – número de horas sem luz por cliente no ano”, ressaltou.

A mudança no sistema de medidores é um dos focos dos investimentos da empresa para os próximos anos. Os equipamentos permitem diversos benefícios, como saber as variações de tarifa ao longo do dia, permitindo que os consumidores programem para usar a eletricidade em horários com preços mais favoráveis. Os equipamentos, no entanto, ainda precisam ser certificados pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) – e também dependem da evolução da regulação.

Investimentos no Brasil

O presidente da Enel para o Brasil, Nicola Cotugno, declarou recentemente que os investimentos estão inseridos em um planejamento total de 4 bilhões de euros (R$ 17,2 bilhões) no país. Desse montante, 2,2 bilhões de euros devem ir para o setor de distribuição e 1,6 bilhão de euros para a geração por fontes renováveis. Com a aquisição da Eletropaulo, a Enel se tornou líder na distribuição de energia no país, com um total de 17 milhões de clientes brasileiros. A empresa atua em mais de 30 países.

 

Fontes: R7, Agencia Brasil e Assessoria de comunicação da Enel

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *