A ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) deu provimento a empresa Acauã Energia e deliberou a operação comercial da central de geração eólica Acauã, envolvendo três aerogeradores de 2 MW de potência em Pindaí, na Bahia. instalada.

Steppinstars / Pixabay

» EOL Acauã: A eólica Acauã tem potência instalada de 6 MW e garantia física de 3,10 MW médios (P50). Leiloada em 2013, a usina comercializou aproximadamente 84% da sua garantia física no mercado regulado a um preço de R$105,95/MWh (valor referente a 2013).

De acordo com a Portaria nº 338/2014, que aprovou o enquadramento deste empreendimento no Regime Especial de Incentivos para o Desenvolvimento da Infraestrutura (REIDI), o capex da EOL Acauã é de R$31,5 milhões.

Abaixo apresentamos a avaliação da Acauã Energia S.A., usina eólica controlada pela Chesf (Eletrobras). Para ter acesso ao valuation interativo deste e de outros 1.200 projetos, torne-se assinante da Pontoon-e (https://pontoon-e.com/valuation-model/).

PONTOON-E | Avaliação da Acauã Energia SA 

» EOL Corrupião 3: No mesmo município, a agência autorizou a operação em teste da EOL Corrupião 3, deliberando cinco turbinas de 2 MW cada, totalizando 10 MW de capacidade

» UTE Jutaí: A Aneel também aprovou testes em 17 unidades geradoras da termelétrica Jutaí – CGA, perfazendo um total de 5,9 MW de capacidade instalada no município de Jutaí, no Amazonas. A usina pertence a empresa Aggreko.

Por Agência Pontoon-e

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *