Associação assinala que redução de encargos e subsídios poderia levar a CDE para metade do que é atualmente

A Abrace – Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres – para as mãos representantes dos presidenciáveis suas propostas para o setor de energia. Na pauta principal da entidade está o combate aos encargos, subsídios e do custo da energia.  A abertura sugerida é atribuir racionalidade, mercado livre de energia e transparência ao setor.

Segundo o presidente executivo da entidade, Edvaldo Santana, a proposta foi elaborada pela equipe técnica da Abrace. E o recado principal dado aos representantes, relevou ele, é de que o setor sempre esteve sujeito a uma pesada intervenção do governo e com isso sempre aconteceu um grande peso ao consumidor. “Nossa recomendação aos representantes é de blindar o setor contra intervenções excessivas”, disse Santana no evento promovido pela Abrace na quarta-feira, 5 de setembro.

O resultado desse impacto no setor, estimou a entidade é inicialmente de R$ 88 bilhões, referentes aos chamados ‘esqueletos do setor elétrico’. E muitos dos valores apresentados por ele, continuou, ainda são embrionários. Dentro desse montante estão a repactuação do risco hidrológico que somam cerca de R$ 15 bilhões a serem repassados para as tarifas em 2019, as dúvidas acerca da dívida da Amazonas Energia que soma algo próximo a R$ 20 bilhões, e ainda itens como os valores necessários para terminar Angra 3 maiores que as quantias já dispensadas até o momento, os valores que devem ser repassados à Eletrobras para garantir sua neutralidade quanto ao gasto nas distribuidoras como designada e o déficit da conta de bandeira tarifária em 2018, que soma R$ 5 bilhões.

Leia a notícia completa em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53074238/abrace-entrega-proposta-para-o-setor-energetico-aos-presidenciaveis

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.